quarta-feira, 3 de junho de 2009

Delírio Consciente


Delírio meu olhar-te assim. Como um pirata cobiçando um tesouro. Mas, a culpa é toda sua. Pois, com teus modos delicados conseguiu afetar-me por completo. Penso em você durante as vinte e quatro horas do dia. No banho, nas minhas orações, até mesmo durante os jogos do Vasco. Você preencheu os vazios que se faziam presentes em meu ser. E eu nem preciso tocar-te, basta contemplar a tua beleza incomensurável.

Meu coração palpita no ritmo de teus passos. Meus olhos acompanham aflitos o rebolar dos teus quadris. Meu sangue ferve, e meu rosto se ruboriza ao sentir a sua presença. Você veio animar meu carnaval em plena quarta-feira de cinzas. E para isso nem precisou usar confetes.

É realmente muito estranho. Ainda outro dia, você era uma ilustre desconhecida perambulando a periferia dos meus pensamentos. Hoje, você é o ícone maior da minha existência. Qual é a sua mágica?

Talvez sejam esses olhos castanhos que me fitam curiosos. Quem sabe esse sorriso acolhedor que me transforma em criança novamente. Bem podia ser a tua pele morena povoada por singelos pêlos loiros. Ou ainda os teus lábios carnudos, sempre convidativos a um beijo. É difícil descobrir. Mas, quem tem o principal dispensa os acessórios. Não importa o motivo desse meu fascínio. Importante é que você continue ao meu lado, porque eu te amo!


Para a morena mais linda que já cruzou o meu caminho.

Aflaudisio Dantas