sábado, 23 de maio de 2009


Melancolia Paranóica

Sozinho na imensidão do seu quarto.
Olhando para qualquer lado.
Não consegue ver as estrelas.
Mas, se contenta com o telhado
A fome bate em sua barriga.
Nenhuma mulher bate em sua porta.
Apesar dos dias nebulosos,
Faz tempo que não chove em sua horta.

Já foi rebelde sem causa,
E até crente sem religião.
Já foi um homem alegre.
Porém hoje não tem satisfação.
Sente o tédio lhe comer inteiro,
Até os confins de sua alma.
Tem vontade de se matar,
Mas pra isso coragem lhe falta.

Aflaudisio Dantas

sexta-feira, 22 de maio de 2009

É só o Fim

Onde estão nossos amigos?
Por quê nenhum deles veio nos ajudar?
Aonde foram nossas garotas?
Nenhuma delas veio nos consolar.

Estamos sempre tão sozinhos
Parece que o mundo se esqueceu de nós
A realidade? Ah!Ela é tristonha e dura
Já não há saída estamos sós.

Para que remar contra a maré?
Se não chegaremos a nenhum lugar!?
Para que lutar? Para que ter fé!?
Se já não temos em que acreditar!?

Esse caminho é tão comprido
Quem foi por ele já se arrependeu
Vamos nos entregar ao inimigo
É bem melhor do que se entregar a Deus.

Aflaudisio Dantas

quarta-feira, 20 de maio de 2009

Indagações

Para que falar de flores?
Se a seca mata mais
Do que os canhões.
Para que falar de amor?
Nem só de sentimentalismos
Vivem os corações.

Para que falar de sexo?
Quem tem fome,
Não consegue ter ereção.
Excitado o miserável só fica,
Quando vê a sua frente
Um pedaço de pão.

Para que olhar o Céu?
E amargamente agradecer,
O pão nosso de cada dia?
Se o pão mofado,
Que agora comemos,
Só faz aumentar nossa agonia.

Aflaudisio Dantas

terça-feira, 19 de maio de 2009


O texto a seguir pe fruto de um trabalho da faculdade e é o esboço de um perfil de uma grande amiga. Espero que gostem dela.
Uma Surpresa Agradável


Quando a conheci eu tinha uma imagem bem diferente a seu respeito. Enquanto escrevo este perfil, imagino como as pessoas podem nos surpreender com extrema facilidade. A garota introspectiva que eu percebi a princípio, aos poucos, deu lugar a uma mulher “descolada” que sabe aonde quer chegar. Mas, nem por isso deixa de ter as suas dúvidas. O gosto pela profissão que pretende exercer, não é suficiente para aplacar as incertezas que um mercado de trabalho tão competitivo lhe impõem. Essa é Waleska de Fátima Ferreira de Mesquita.
Waleska mora no bairro de Antonio Bezerra e é torcedora ardorosa do Ceará. Todos os dias sai de sua casa com destino a faculdade. Durante boa parte da noite, assiste a aulas que lhe preparam para ser uma grande jornalista. Atuar nessa área é seu grande sonho, mas quem a vê tão compenetrada na sala de aula não imagina que outros anseios já habitaram a sua cabeça.
Quando criança, Waleska tinha um anseio que não é muito comum entre as garotas. Aliás, esse sonho encanta muitos meninos Brasil afora. Ela desejava ser oficial da Aeronáutica. Perseguiu esse objetivo de forma tenaz até a sua adolescência. Tanto fascínio pelas forças armadas tem explicação. Sua mãe sempre teve o sonho de ver um filho seu como oficial do Exército. Como Wellington, irmão de waleska nunca quis esse futuro para si, dona Francisca transferiu essa perspectiva para a filha. Além de sua mãe, um grande amigo, chamado Roberto, que era policial militar, por muito tempo alimentou essa utopia no íntimo da garota. Contudo, a garotinha cresceu e adquiriu uma personalidade muito forte, como eu mesmo já pude constatar. Hoje o sonho de ser militar é apenas uma lembrança saudosa de seu amigo Roberto, que faleceu a alguns anos. Waleska resolveu seguir caminho por outros campos de batalha, e empunhar outra bandeira: a da ética no jornalismo.

Aflaudisio Dantas