sábado, 16 de maio de 2009

1984:Uma obra visionária


1984:Uma obra visionária

Este livro é com certeza uma das distopias mais contundentes do século XX. Com uma linguagem até certo ponto rebuscada, o livro tem uma leitura difícil, mas mesmo assim ,prende a atenção do leitor até o fim. Escrito em 1948, o título se deve à inversão dos dois últimos dígitos do ano em que foi concebido.
Sem dúvida, 1984 foi o grande êxito de George Orwell, que também é autor de A Revolução dos Bichos, que possui uma temática muito parecida. Para entender melhor qual a mensagem que o autor queria transmitir com 1984, é preciso estar atento ao fato de que George Orwell era comunista assumido. Por muito tempo, foi defensor aguerrido da Revolução Russa.
Certa vez, em meados dos anos quarenta, Orwell, então respeitado jonalista e escritor no mundo inteiro, eminente intelectual de esquerda, foi convidado por Stalin a fazer uma visita a União Soviética. A intenção era fazer propaganda em prol do Socialismo soviético. Teve o efeito inverso.
George Orwell ficou estarrecido com o pouco que presenciou. Não conheço relatos de outra visita de Orwell ao quintal de Stalin. Assim que chegou em Londres, começou a alimentar a idéia de escrever um romance. Começava a nascer o que viria a ser uma das maiores obras literárias do século XX. Mas, voltemos ao livro.
A obra mostra atraves da ótica de um homem solitário e desiludido com o mundo, uma sociedade corrompida e totalmente controlada pelo Partido. Isso lembra algum país? Impossível não associar essa descrição a União Soviética.
Mas é preciso ressaltar que, a crítica de Orwell, se referia não só ao Stalinismo, mas sim a todo regime opressor que através do poder interfere na vida do povo em prol de benefícios obscuros.
Nesse mundo desenhado pelo autor, o planeta é dividido em três grandes super potências: Eurásia, Lestásia e Oceania. As três potencias vivem em guerra constante. Winston Smith personagem central da história, vive na Oceania. Trabalha como funcionário do governo e é um eterno questionador. Mas ele tem muito medo que descubram tudo o que pensa. Pois, apesar de pensar não ser crime, não é prudente formular qualquer tipo de pensamento. Ainda mais, quando se é contra o Partido e a figura do Grande Irmão (quem não conhece o Grande Irmão vai ter que ler o livro).Qualquer um que contrarie os ideais defendidos pelo Partido e encarnados no Grande Irmão é punido com a Morte.
Em sua obra, Orwell traz sérios questionamentos sobre o caráter dos regimes totalitários sobretudo o Socialista soviético. Leitura obrigatória, um livro fantástico que merece ser lido várias vezes, eu já li duas. E pretendo ler mais. Espero que outras pessoas que não tenham lido, se sintam instigadas a fazer essa leitura. Vale cada minuto.

Aflaudisio Dantas

sexta-feira, 15 de maio de 2009

Sua Ùnica Defesa

Sabe quando não sentimos mais o chão?
È. Eu me sinto assim agora.
O sangue corre em minhas artérias,
Mas não o sinto circulando.
Sinto apenas, minhas veias se arrebentando.
Jorrando água vermelha em toda a Natureza.
Me perguntaste se era divertido,
Passear pelo lado negro da Lua.
Não é, mas você pode conversar consigo mesmo.
Quem sabe conhecer-se um pouco melhor.
Nem precisa injetar toda essa heroína,
Deixe a Solidão fazer tudo por você.
Também é desnecessário beber,
Todo o álcool que tiver nesse mundo.
Basta apenas olhar no fundo,
De onde vem toda a tristeza.
Faça desse mal uma fortaleza,
Impenetrável até para o ladrão astuto.
Se abrigue debaixo das suas dores.
Canalize sua raiva intensa.
Tome por escudo os seus rancores.
Nada fere mais do que a palavra,
Pois somente ela penetra os corações.

Aflaudisio Dantas

quinta-feira, 14 de maio de 2009

O Ato Final

Um beija-flor de metal paira no ar.
È chegado o momento decisivo.
Trombetas gritam,
Em bmols e sustenidos.
Começou o ato final!
Extingue-se agora,
A luta do Bem contra o Mal.
Todo maniqueísmo deve desaparecer.
Olhe para o Céu,contemple-o
Testemunhe a grande Metamorfose.
Uma vida que nasce,
Milhões de vidas que morrem!
Começou o ato final!
O beija-flor de metal,
Inicia o epílogo da História.
E já não há espaço para dor ou glória,
De alguns seres egoístas.
Pois num sacrifício altruísta,
O beija-flor despeja seus ovos,
Por cima das nossas cabeças.
E os ovos jamais serão filhotes.
Mas, grandes rosas flamejantes,
Que iluminarão todo o anoitecer,
Em clarões vigorosos.
Para delírio dos anjos trombeteiros,
Que fazem desaparecer um mal passageiro,
Nesse momento tão decisivo.
Farão surgir em seu lugar,
O grande Mal definitivo!

Aflaudisio Dantas

terça-feira, 12 de maio de 2009

Semi-Platônico



Meus olhos saltam espantados,

Com a divina leveza de teu ser.

Minhas negras pupilas dilataram-se,

Ante o brilho que emana de ti.




Os meus pêlos ficaram eriçados,

Ao percorrer tuas curvas sinuosas.

Minha alma se regozija,

Com tua presença contundente.




Meus pulmões pulsam agradecidos,

Por respirar o teu perfume.

Meu instinto animal se liberta,

Ao tocar tua carne macia.




Mas, você se sobressalta,

Quando teus olhos cruzam os meus.

Ante brincadeira tão perigosa,

Só nos resta dizer : Adeus!




Aflaudisio Dantas