quarta-feira, 27 de maio de 2009

Lágrimas de Deus

Já estava ali a muito tempo e nada acontecia. Três ônibus já haviam chegado e em nenhum deles ela veio. A chuva comecara a engrossar e penetrava pelas folhas da copa da árvore, indo bater direto em seu rosto, escorrendo pela sua face, embaçando seus óculos. De súbito, uma pequena lágrima brotou no canto do seu olho; mas era tão tímida que mal poderia ser notada. Mas, como se fosse combinado,à medida que a chuva ia aumentando, suas lágrimas também aumentaram.
Estava com o coração destroçado, só o que podia fazer era chorar.Por ser introvertido, ficou com receio de que as outras pessoas percebessem que estava chorando. Tentou então de todas as maneiras disfarçar o choro e obteve um certo êxito.
E enquanto chovia, ele ficou sentado esperando, mesmo sabendo que seria em vão.Subitamente percebeu que num banco próximo ao seu tinha um senhor também sentado a lhe observar. Foi então que este senhor, de cabelos grisalhos inclinou-se e fez a seguinte pergunta:
_Por quê está chorando meu filho?
Ele então respondeu visivelmente contrangido:
_Não estou chorando. É apenas a água da chuva que cai sobre meus olhos e escorre pelo meu rosto.
O velho respondeu:
_Não precisa ficar envegonhado meu filho. Eu também já fui jovem, sei como se sente. Pois um dia, há muito tempo, eu fiquei esperando por uma pessoa que era muito importante para mim. Infelizmente ela não apareceu. Só o que pude fazer foi chorar. Minha tristeza era tão grande que até Deus chorou comigo,exatamente como agora.
Aflaudisio Dantas

22 comentários:

  1. Belissímo!
    Decepção é uma dor enorme e sem volta.
    Muito bonito a foram que vc escreveu!
    Parabéns!

    ResponderExcluir
  2. Poxa, Aflaudisio, seu texto está belíssimo! Uma sensibilidade enorme!

    Às vezes nos sentamos, choramos, tentamos "sufocar" o choro, mas o melhor é liberar tudo mesmo.

    E a chuva, o choro de Deus...perfeito!

    Parabéns!

    abs!

    ResponderExcluir
  3. Gostei também... um texto que faz a gente pensar!!!
    Abração

    ResponderExcluir
  4. Muito bonito o texto, visite depois:
    www.webdicas.org mais de 120mil desabrigados no maranhão, se puder ajudar nos agradecemos!

    ResponderExcluir
  5. Lindo o texto!!
    Me fez refletir bastante..

    ResponderExcluir
  6. Lindooo - Palmas (clap clap clap)
    Sensibilidade a flor da pele.. ah como queria ser assim rsrsrsrs.


    PS: Retribuindo a visita e respondendo o seu comentário: Será mesmo que ela está equivocada??? Acho que essa teoria tem fundamento hahaha...

    Bjos e Sucesso

    ResponderExcluir
  7. Parece que ouvi minha avó contando. Digo, o jeito de narrar foi parecido.
    Gostei da história. Simples. Leve. Bucólica.
    A junção do novo e velho.
    Realmente gostei.
    Parabéns. ;*

    ResponderExcluir
  8. Pelo titulo, pensei, mas rapidamente, que fosse algo mais religioso..enfim...você retratou a solidão que é se decepcionar com alguém que se amar sem parecer tão melancolico, como muitos fazem..e o fez de forma bonita.

    ResponderExcluir
  9. parabens pelo seu texto Aflaudisio, seus textos são muito bons!!!
    esse que acebei de ler é lindo.

    nem sempre o belo é somente a felicidade as vezes o belo também é o choro a dor a decepção...

    seu poema é belo!!!

    parabens!!!

    ResponderExcluir
  10. Amei, ta nos meus favoritos!
    Sucesso pra você!


    ;** beijos

    ResponderExcluir
  11. Parabéns pelos seu texto,cara muito bom..adorei o blog...sucesso

    e quando puder
    http://artstag.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  12. Ahh... os sábios. Temos, mesmo, de dar toda a atenção e todo o ouvido quando um senhor de cabelos grisalhos nos fala. Sempre temos algo a aprender com eles, os idosos.

    Belíssimo texto, cara! A chuva, realmente, costuma me trazer uma certa tristeza e um certo vazio interior. Talvez seja, mesmo, lágrimas de Deus, chorando pela situação de como está Sua criação nos dias de hoje.

    Abraços o/

    ResponderExcluir
  13. Nossa Aflaudisio, me tocou sabia?
    Me deu um aperto na parte da lágrima!!
    Muito bom, parabéns por escrever com coração!!

    Forte abraço

    ResponderExcluir
  14. A última parte foi a mais bonita! *_*

    "Só o que pude fazer foi chorar. Minha tristeza era tão grande que até Deus chorou comigo,exatamente como agora."

    Show de bola!
    Abração e Parabéns!

    ResponderExcluir
  15. A espera irrestrita é realmente dolorosa... ao menos, qdo se tem a esperança de algo, torna-se impaciência, e ai é mais suportável. Mas a espera infinita, está mais para tortura do que para qualquer outra coisa.

    Belo texto Dantas!

    ResponderExcluir
  16. Voltando aqui pra dizer mais uma vez... Belísssssssiiiimo

    ResponderExcluir
  17. Boa cara...poucos textos que me prendem e o teu me surpreendeu. Parabéns.

    Blog: Cultura Dinâmica - www.culturadinamica.wordpress.com

    ResponderExcluir
  18. Muito bom o texto. Parabéns!



    Adorei a parte: "(...)até Deus chorou comigo, exatamente como agora."

    Grande abraço =D

    Agora vou estar sempre por aqui.

    ResponderExcluir

manifeste-se