segunda-feira, 27 de abril de 2009

O Grande Criador


Aquela flor parece tão vigorosa.
Veja! Está sorrindo para mim.
Suas pétalas macias, balançam ao vento.
Esse mesmo vento,
Irá despedaçá-las
E que belo pássaro na campina!?
Orquestra sinfônica da Natureza.
Primor musical de nossas manhãs e ...
E prato predileto dos gatinhos.

O cão, melhor amigo do Homem.
Lealdade a toda prova!
Mas, no primeiro deslize
Seu destino é o desterro, ou a cova

A Vaca, solícita nos amamenta
Altruísmo maior, nunca houve.
Em troca as alimentamos.
Para sacrificá-las no açougue.

E o Homem? Que bela personificação,
Do invencionismo da Natureza!
Dotado de genialidade contumaz.
Porém, o criador com tristeza olha a cria.
A humanidade é o predador mais voraz!


Aflaudisio Dantas

7 comentários:

  1. criaturas vão destruindo constantemente com o mesmo barro ''gerado'', mas ainda ha coisas bonitas para se olhar e fazer.

    ResponderExcluir
  2. as vezes penso comigo: como escrever poesia em tempos de motosseras, armas químicas e amores brutos?

    talvez vc tenha descoberto a fómula! chega de poesia do passado! admiro seu poema por tentar algo novo.

    abraço

    ResponderExcluir
  3. kkk, achei engraçada a parte ''E prato predileto dos gatinhos.''...
    até gostei da sua poesia viu, e olhe que eu nem curto muito!!

    abração!

    ResponderExcluir
  4. Parece estranho mas é a lei da vida .. rsrs

    Muito bom o seu texto..

    Abç.

    ResponderExcluir
  5. Simplesmente Show.Profundo e duro ao mesmo tempo.
    Muito bom
    PARABENS ;*

    ResponderExcluir
  6. Concordo totalmente com o último verso.

    ResponderExcluir
  7. de grande sensibilidade, não é do tipo de poesia que com o perdão da palavra são vomitadas pelos que se dizem poetas! gostei

    ResponderExcluir

manifeste-se