sábado, 25 de abril de 2009

Minha Desgraça

No êxtase letal dos apaixonados,
Na sofreguidão piegas dos românticos,
Na ânsia sublime dos poetas,
A procura do Amor verdadeiro.
Nem é preciso sonhá-lo por inteiro.
Se ao cabo da mais vaga lembrança,
Enche-se logo o peito de esperança.
E o olhar de felicidade.

E o olhar de felicidade,
Fita o amor que se aproxima.
Devagarzinho, rima após rima,
Vai fitando o Amor, o poeta,
E por ele sendo fitado.
Descobre então alucinado
A desgraça que o cerca.

A desgraça que o cerca,
Chegou sorrateiramente.
Envenenou corações e mentes
Transformou a vida num azedume!
E não é apenas o abjeto ciúme,
Que cria monstros na cabeça
É uma voz sinistra que diz:"Enlouqueça!
Pois você está apaixonado."

Aflaudisio Dantas

8 comentários:

  1. Sinto um pouco disso!
    O texto estã triste intenso e muito sentimental!

    ResponderExcluir
  2. Boas palavras companheiro
    Sucessos com seu blog sempre! :)
    Abraço

    Otimização de recursos e serviços.
    http://menosbits.blogspot.com/
    O jeito inteligente de se usar a internet.

    ResponderExcluir
  3. gostei do texto...apaixonare sempre bom.....tem as desgraças que no meio do caminho mas o amor sempre vence...

    ResponderExcluir
  4. O poema é de sua autoria ?
    É bem tocante desde o titulo há como vc explica devagar, como é esta apaixonado, e o bom é que vc não é tão melancolico para falar de amor, como outros poetas

    ResponderExcluir
  5. Escreves muito bem!
    Teu texto passa sentimento!

    visita qd puderes: http://odiariodajeni.blogspot.com

    ResponderExcluir
  6. Adorei, isso realmente acontece!
    Vou te acompanhar!

    bjos

    ResponderExcluir

manifeste-se